A Power Platform é o termo usado pela Microsoft para um conjunto de três aplicações da empresa: o Power BI, o Power Apps e o Power Automate (anteriormente conhecido como Microsoft Flow).

Individualmente, esses aplicativos atendem a necessidades específicas dos negócios, mas juntos eles fornecem uma plataforma poderosa para as pessoas acessarem, analisarem, agirem e automatizarem facilmente seus dados.

Historicamente, esses serviços e soluções — seja o desenvolvimento de aplicativos, automação de processos ou até mesmo análise de dados — estavam em grande parte nas mãos da TI.

Os usuários de negócios normalmente criariam uma solicitação de TI para ajudar a automatizar um processo e teriam que esperar por aquele ciclo de orçamento e projeto antes que algo pudesse ser construído e liberado para produção.

A Power Platform foi projetada para capacitar as linhas de negócios para ganhar independência do setor de TI. Com Power BI, Power Apps e Power Automate, usuários avançados não técnicos podem criar aplicativos simples ou visualizar de dados com pouco ou nenhum conhecimento de tecnologia.

Em suma, a Power Platform e os aplicativos que a compõem permitiram às empresas dar um passo importante em direção à transformação digital.

Para te mostrar, no artigo de hoje apresentaremos tudo que você precisa saber sobre a Power Platform para que entenda como que dar maior poder às equipes não técnicas da empresa pode beneficiar seus resultados.

Os 3 pilares da Power Platform

A Power Platform foi construída pela Microsoft para solucionar três problemas enfrentados pelas empresas na atualidade: (1) a análise de dados, (2) a automação de dados e (3) a modificação desses dados para melhor servir aos objetivos de negócios.

1. Análise de dados

Em termos simples, a análise de dados nada mais é do que analisar os registros do seu negócio. Esses registros permitem reconhecer padrões e tendências que:

  • facilitam a identificação do comportamento do consumidor, permitindo desenvolver produtos e serviços que atendam às suas exatas necessidades;
  • evidenciam gargalos nos processos de negócios que, ao serem eliminados, podem proporcionar ganhos de produtividade e eficiência;
  • permitem realizar uma projeção mais exata dos custos financeiros do negócio, possibilitando a otimização dos gastos e, com isso, dos lucros da empresa.

Todos esses são objetivos buscados por qualquer empresa. O mais interessante é que os ingredientes para conseguir atingi-los estão todos dentro da própria organização. No entanto, a análise de dados é mais fácil na teoria do que na prática.

Com o avanço da internet e dos smartphones, o número de dados que geramos por segundo aumenta a cada dia. Isso significa que, não importa o nicho da sua empresa, ela terá milhares de linhas de dados para analisar e encontrar as informações que realmente farão a diferença. Para entender melhor, é quase como tentar encontrar uma agulha dentro de um palheiro.

E se antes a análise de dados era restrita a cientistas de dados, profissionais especializados em organizar o palheiro para encontrar a agulha, o Power BI, o pilar de análise de dados da Power Platform, torna essa tarefa simples o suficiente para que qualquer profissional, seja ele especialista em dados ou não, consiga fazê-lo.

2. Automação de processos

Você provavelmente já está cansado de ouvir o termo “transformação digital” sendo falado por aí. Mas há um motivo para isso: sem pensar na transformação digital da sua empresa, ela provavelmente ficará para trás.

Um exemplo disso está na indústria. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) realizou uma pesquisa com pequenas e médias indústrias brasileiras para entender os reais impulsionadores por trás de projetos de transformação digital nessas empresas.

O resultado, como era de se esperar, foi que essas empresas estão atrás de redução de custos e aumento de produtividade — dois pontos essenciais para otimizar os lucros da organização. E, claro, elas entendem que a transformação digital, especialmente por meio da automação de processos, é o meio para conseguir esses objetivos.

A automação de processos é outro conceito mais simples de entender na teoria do que de implementar.

Todo departamento de uma empresa possui tarefas repetitivas e “sem valor” que podem ser automatizadas. Pense no marketing da empresa, por exemplo. A equipe de marketing precisa acompanhar as menções à marca nas redes sociais para identificar leads que possam ser passados ao time de vendas.

Com a automação de processos, é possível criar um fluxo para que sempre que alguém com mais de cem seguidores tweetar sobre sua empresa, um lead seja adicionado automaticamente à ferramenta de automação de marketing e ao mailing para disparo de e-mails.

O Power Automate, o pilar de automação de processos da Power Platform, leva a automação de processos a outro nível. Se antes, para automatizar esse fluxo, o gestor ou o analista de marketing deveria recorrer à TI e aguardar que sua solicitação fosse atendida por um profissional da área, o Power Automate permite que ele mesmo desenvolva um código que faça a integração entre as ferramentas, sem nenhum ou quase nenhum conhecimento técnico.

3. Desenvolvimento de aplicativos

Outra parte da transformação digital que sua empresa precisa passar é possuir as ferramentas certas no lugar para facilitar o trabalho e liberar os profissionais para cuidar de tarefas mais estratégicas.

Isso significa criar aplicativos e soluções que sejam desenhadas para as necessidades específicas de cada equipe, seja o time de marketing, RH, produção ou outro. No entanto, criar soluções personalizadas e exclusivas para sua empresa poderia se traduzir em uma alta quantia sendo desembolsada pelo caixa da empresa.

Afinal, o desenvolvimento de aplicações era exclusividade de profissionais com conhecimentos profundos de linguagem de programação, User Experience (UX) e outros aspectos da criação de softwares.

O Power Apps, o último pilar da Power Platform, referente ao desenvolvimento de apps, muda isso. Ele tira das costas da TI a responsabilidade por desenvolver e criar soluções que atendam às mais variadas necessidades dos diferentes departamentos de uma empresa.

A solução faz isso com base em duas metodologias que têm ganhado o mercado de desenvolvimento: o no-code e o low-code.

O low-code permite que um software seja totalmente personalizado com uma quantidade “baixa” (mínima) de programação. Em vez de levar semanas ou meses para desenvolver um aplicativo personalizado, isso pode ser feito em algumas horas ou dias. Embora o low-code ainda exija a codificação por alguém com conhecimento de programação, ele é mais rápido e barato do que nunca.

O no-code, por outro lado, leva o conceito de baixo código a outro nível, permitindo literalmente qualquer pessoa adaptar um aplicativo às suas necessidades sem nenhum conhecimento de programação. Em outras palavras, o no-code permite a qualquer um — mesmo aqueles com zero conhecimento técnico — para personalizar seus processos de negócios, painéis etc.

Agora que você entende os pilares de cada um dos programas que compõem a Power Platform, vamos dar uma olhada nas funcionalidades específicas de cada um deles.

Power BI: a análise de dados da Microsoft

O Power BI é a ferramenta de Business Intelligence e análise de dados que ajuda você a transformar dados de várias fontes em painéis interativos e relatórios inteligíveis. Ele fornece vários conectores de software e serviços.

Abaixo, estão os motivos mais populares para usar as ferramentas Power BI:

  • Painéis e relatórios pré-construídos para soluções SaaS;
  • O Power BI permite atualizações do painel em tempo real;
  • Oferece conexões seguras e confiáveis ​​para suas fontes de dados na nuvem ou no local;
  • O Power BI oferece implantação rápida, configuração híbrida e um ambiente seguro;
  • Permite a expedição de dados usando consulta de linguagem natural;
  • Fornece atributos para visualização de painel frequentemente atualizado com a área.

O que o Power BI faz?

Com o Power BI, você pode pegar dados de diferentes fontes e processá-los em insights. Ao contrário do Excel, porém, você não fica olhando apenas para centenas de linhas e colunas por padrão. Em vez disso, você terá uma melhor compreensão dos dados por meio de diferentes gráficos e tabelas visualmente atraentes e de fácil compreensão.

A solução faz isso em três etapas, sendo:

  1. Integração de dados: cada organização precisa trabalhar com dados provenientes de vários recursos que podem estar em diferentes formatos de dados. Os dados devem ser extraídos de vários recursos, que podem ser de diferentes servidores da web ou fontes de dados. Essas informações são integradas em um estilo convencional em uma área de preparação usual;
  2. Processamento de dados: nesta fase, os dados incorporados ainda não estão preparados para visualização, pois requerem processamento. Esses dados são pré-processados. Por exemplo, valores repetitivos e ausentes certamente serão removidos do conjunto de dados. As diretrizes de negócios precisam ser aplicadas aos dados quando eles são limpos. Você pode carregar esses dados de volta no Data Warehouse;
  3. Apresentação de dados: depois que os dados são compactados e processados, eles podem ser visualizados melhor com o uso de várias visualizações que o Power BI tem para fornecer. O uso de painéis e relatórios ajuda a representar os dados com facilidade. Este relatório visual ajuda os usuários finais de negócios a fazerem escolhas de serviço com base nos entendimentos.

Power Automate: automatizando fluxos de trabalho

Atualmente, existem mais de 150 serviços aos quais você pode se conectar com o Power Automate. No Power Automate, você pode visualizar todos os seus fluxos de trabalho, dar uma olhada em alguns dos modelos mais populares, automatizar e agilizar seu processo de aprovação, usar conectores de um serviço a outro e encontrar informações abrangentes que o ajudarão a crescer rapidamente.

Usar essas conexões é muito fácil; tudo o que você precisa fazer é entrar em um serviço específico e usar o Microsoft Power Automate para automatizar as ações entre os serviços de sua escolha. Você pode começar com um dos mais de cem modelos comumente usados ​​para criar fluxos de trabalho em um navegador ou dispositivo móvel.

O que o Power Automate faz?

Existem diferentes tipos de fluxos de trabalho que você pode criar com o Microsoft Power Automate:

  • Automatizado: um fluxo de trabalho automatizado executa uma ou mais tarefas automaticamente, uma vez que é disparado por um evento. Por exemplo, você pode criar um fluxo de trabalho que o notifica por e-mail quando alguém envia um tweet que contém uma palavra-chave específica;
  • Botão: um fluxo de trabalho de botão executa uma ou mais tarefas com apenas um toque de um botão, uma vez que foi acionado por um evento. Por exemplo, se você deseja enviar um e-mail rápido para sua equipe para lembrá-los de participar da reunião diária da equipe, você pode fazer isso simplesmente tocando em um botão em seu dispositivo móvel;
  • Programado: um fluxo de trabalho agendado executa uma ou mais tarefas de acordo com uma agenda. Você pode agendar uma tarefa uma vez por dia / hora / a cada minuto / em uma data específica ou após um determinado número de dias, horas ou minutos. Por exemplo, você pode agendar uma ligação semanal com seus fornecedores todas as segundas-feiras para ficar por dentro de todas as atualizações;
  • Processo de negócios: fluxos de trabalho de processos de negócios são representações de seus processos e normalmente consistem em estágios e etapas dentro de cada estágio. Você pode ver em qual estágio está e quais etapas você precisa concluir antes de prosseguir para o próximo estágio. Os fluxos de trabalho de processos de negócios não exigem nenhuma lógica de negócios condicional ou automação, além de fornecer uma experiência otimizada para entrada de dados. Quando combinados com outros processos e personalizações, eles podem economizar tempo, reduzir custos de treinamento e aumentar a adoção do usuário.

Power Apps: desenvolvimento de apps com a Power Platform

O Power Apps da Power Platform é a ferramenta a ser usada no desenvolvimento de aplicativos. Sempre que alguém deseja construir um aplicativo na plataforma, ele é levado ao Power Apps Studio. Aqui, uma tela funcional será gerada pelo sistema para a finalidade pretendida.

Existem vários benefícios de usar o Microsoft Power Apps. A plataforma permite o desenvolvimento rápido e sem esforço de aplicativos. Muitos dos elementos demorados são eliminados do processo e substituídos por funções intuitivas de arrastar e soltar. Isso obviamente economiza muito tempo, especialmente para aqueles que são relativamente inexperientes.

Além disso, Power Apps tem:

  • desenvolvimento simplificado (todos os elementos necessários já estão na plataforma)
  • conexão de dados sem esforço
  • integração embutida do Office 365
  • prontidão móvel
  • eficiência de custos

O que o Power Apps faz?

O processo usado para o desenvolvimento de um aplicativo na Power Platform é bastante simples. Abaixo, listamos as etapas de criação para que você tenha uma ideia de como o Power Apps simplifica o processo:

  1. Selecione “Criar um aplicativo” no menu Power Apps;
  2. O Power Apps Studio será aberto, apresentando uma tela para a criação do aplicativo que é gerada pelo sistema;
  3. Selecione o ambiente PowerApps (site Power Apps, Power Apps studio, Power Apps mobile ou Power Apps admin center);
  4. Selecione o tipo de aplicativo;
  5. Selecione o tipo de armazenamento;
  6. Escolha a fonte de dados à qual o aplicativo em desenvolvimento será conectado (algumas das fontes de dados suportadas incluem SharePoint, SQL Server, Oracle, Informix e Filesystem com potencial para adição de novos).

Assim que a configuração inicial for realizada e o desenvolvimento do aplicativo começar, o Microsoft Power Apps permitirá uma ampla gama de possibilidades de personalização. Os controles disponíveis na barra de ferramentas Power Apps e as propriedades avançadas no painel direito podem ser usados ​​para isso. Tudo, desde uma mudança de título até a adição de cartões personalizados, é possível.

Algumas outras opções de personalização incluem a adição de imagens, vídeos e arquivos de áudio, a criação de vários ícones, recursos de pesquisa e personalização de fórmulas. O Power Apps também permite testes extensivos do aplicativo antes de ser lançado.

Um recurso interessante final é que o aplicativo finalizado é fácil de compartilhar com outras pessoas na plataforma Microsoft Power. A adição de um nome, e-mail ou grupo de usuários permite compartilhamento e colaboração sem esforço.

Conclusão

A Power Platform revolucionou o mercado abordando três pontos principais para que as empresas avancem nos seus projetos de transformação digital.

A chave para obter o máximo valor da Power Platform, ou de qualquer aplicativo do pacote Office 365, é entender o caso de uso e, em seguida, certificar-se de que as ferramentas e as pessoas certas estejam disponíveis. Agora, com a Power Platform, todos em sua organização podem acelerar a inovação e as percepções, economizar tempo e esforço significativos e simplificar os processos.

Se você tiver alguma dúvida sobre como aproveitar melhor este conjunto de ferramentas, entre em contato conosco! Estamos sempre prontos a ajudá-lo!